Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação – Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O juiz Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, determinou nesta quinta-feira (23), a soltura do ex-ministro da educação, Milton Ribeiro, preso preventivamente em operação da Polícia Federal realizada na manhã de ontem (22).

“Ante o exposto, defiro a liminar, se por outro motivo o paciente Milton Ribeiro não estiver segregado, para cassar a sua prisão preventiva, até o julgamento de mérito pelo colegiado da Terceira Turma deste TRF da 1ª. Região”, disse o magistrado na decisão que determinou a soltura de Milton Ribeiro.

A medida cautelar de Milton Ribeiro foi revogada sob a justificativa de que “não há razão o bastante para a manutenção da prisão, sem a demonstração concreta de onde haveria risco para as investigações”. O magistrado disse ainda que as medidas necessários para o prosseguimento das investigações foram feitas. “Verifico que a busca e apreensão já foi realizada, as quebras de sigilos já foram deferidas”, disse o juiz Ney Bello.

Em sua decisão, o julgador disse ainda que, mesmo com a revogação da prisão preventiva, as investigações sobre os possíveis crimes cometidos pelo ex-ministro devem seguir. “A investigação deve correr até não mais poder e se apurarem todos os fatos citados, com as garantias do devido processo legal e da ampla defesa”, disse o juiz.