O deputado federal Rafael Motta não ficou calado diante das críticas que Carlos Eduardo fez diretamente a ele durante entrevista concedida pelo pedetista, nesta sexta-feira, à Rádio Rural de Mossoró.

“Quem esteve a serviço do bolsonarismo nos últimos anos não foi eu. Pelo contrário: fui resistência, ao lado da governadora Fatima Bezerra e de outros companheiros. Tentar mudar essa história é subestimar a inteligência do potiguar. É desonesto com o eleitor e com a nossa luta!”, escreveu presente do PSB no RN em seu Twitter.

O ex-prefeito de Natal disse, na ocasião, que a pré-candidatura de Motta ao Senado tem o objetivo de “ajudar” o ex-ministro Rogério Marinho, que também disputa a pré-candidatura à vaga. Ele criticou o fato de o deputado só ter oficializado a pré-candidatura de senador depois de o PT ter decidido que o candidato seria ele. Carlos Eduardo também disse na entrevista que Rafael confirmou a apoio à sua candidatura e que depois mudou de opinião.

“Eu faço minhas as palavras da governadora Fátima Bezerra. A governadora disse que a candidatura de Rafael Motta é para ajudar a candidatura de Rogério Marinho. Depois de ela (a governadora) me convidar para ser o candidato a senador na chapa dela, foi conversar com todos os partidos aliados, inclusive com o PSB. Naquela oportunidade, o PSB não manifestou nenhum desejo de disputar o Senado. Depois de concluído todo esse diálogo, aí ele aparece candidato. Depois de tudo feito, aliança formalizada, aparece candidato”, afirmou o ex-prefeito de Natal.

Nos bastidores da campanha do PSB, a fala do ex-prefeito foi sentida como uma demonstração de que ele está preocupado com a pré-candidatura de Rafael. E que essa reação está sinalizada na mudança de foco do ex-prefeito, que passou a mirar no presidente do PSB e se esqueceu de Rogério Marinho, com quem ele polarizada isoladamente até bem pouco tempo atrás.