América-RN campeão do Potiguar feminino 2020 sobre o União – Foto: Patrícia Oliveira/América-RN

A dívida que o América F.C. tem com o time de futebol feminino do clube e que conquistou o último título estadual, pode estar em rota de pagamento. O presidente do clube, Ricardo Valério, se reuniu na manhã desta quinta-feira com a ex-coordenadora do departamento de futebol feminino, Júlia Medeiros, e fez propostas para quitar o débito com o clube tem com as meninas campeãs.

Diversas vezes abordada pelo NOVO, a dívida é oriunda de repasses financeiros feitos pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) destinados exclusivamente ao custeio do time feminino, que foi participante da Série A2 do Campeonato Brasileiro, e que acabou não chegando na sua totalidade ao devido destino. O montante é na ordem de R$ 50 mil, contudo, apenas R$ 4 mil foi de fato repassado, um valor equivalente a apenas 8% do total.

A ausência de pagamento, obviamente, gerou também a falta de confiança das meninas gestoras do futebol feminino, o que acabou inviabilizando a continuidade do projeto, que resultou na ausência do América F.C. na disputa da próxima edição do Campeonato Potiguar, a se iniciar ainda neste mês de outubro.

Para tentar contornar a situação, a direção do clube fez algumas propostas de acordo na reunião desta manhã. Entre o proposto está o tratamento e assistência médica e fisioterapêutica de duas atletas que se lesionaram durante as atividades da temporada. Graça, atleta local, passará por procedimento cirúrgico que deverá ser feito pelo SUS, enquanto que o tratamento pós-operatório, com sessões de fisioterapia, serão feitos no clube, três vezes por semana. A outra atleta, Leandra, mora no Estado do Ceará e precisará passar por alguns exames que deverão ser custeados pelo América, para então iniciar um tratamento, e então realizar uma operação, que se não conseguir fazê-la no seu Estado, o clube tentará trazer ela para que o médico do clube faça a cirurgia aqui em Natal.

Sobre os R$ 50 mil, o valor continuará à disposição na conta do clube para investimentos em projetos de futebol feminino no próximo ano. Entretanto, o pleito da ex-coordenadora em repassar um “valor simbólico” para atletas do Estado como uma ajuda de custos não foi atendida. A diretoria alvirrubra alegou que como este acordo não aconteceu de forma oficial, o clube não teria como autorizar o repasse.

Em meio a todas as tratativas, a direção do América propôs um novo acordo para que o grupo permaneça no comando do futebol feminino do América em 2022, contudo, Júlia Medeiros, que já havia divulgado sua saída do clube, negou a proposta.

Confira o comunicado na íntegra: