Nesta segunda-feira (24), o Rio Grande do Norte tem 386 pessoas internadas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – Foto: Agência Brasil

O Rio Grande do Norte registrou mais mortes de pessoas aguardando leitos de terapia intensiva (UTI) do que pacientes que receberam alta hospitalar antes de seguir para a internação desde o início da pandemia da Covid-19.

Leia mais:
RN vive nova fase da pandemia com queda na internação de idosos e alta de casos

Segundo dados da plataforma Regula RN, que monitora as internações hospitalares relacionadas com as infecções da doença no estado, um total de 795 pessoas morreram na fila de espera para a UTI desde abril de 2020, contra as 787 que tiveram melhora da saúde e receberam alta hospitalar.

Entre janeiro e maio de 2021, o número de potiguares que morreram à espera de UTI somou 411 casos, contra as 442 pessoas que receberam alta no mesmo período. Em 2020, o número foi de 384 mortes e de 345 altas.

Internações em UTI

Nesta segunda-feira (24), o Rio Grande do Norte tem 386 pessoas internadas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ao todo, o estado tem 416 leitos de UTI, sendo que apenas 10 estão disponíveis e outros 30 estão bloqueados – seja por falta de insumos, ventilador pulmonar, kit intubação, entre outros motivos.

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 97,2%, registrada no fim da manhã desta segunda-feira (24). A Região metropolitana apresenta 95,6% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 100% e a Região Seridó tem 100%. Há, ainda, 81 pessoas na fila por leitos críticos. A maioria dos pacientes em espera da Grande Natal.