Da coluna Daniela Freire na edição impressa do Novo Notícias desta segunda-feira, 13 de junho.

ATINGIDOS DE MORTE
Esta colunista se uniu ao sociólogo Thiago Medeiros e escreveu um artigo sobre as mazelas que o PLP 18 trará, caso aprovado, para a população carente do RN. De acordo com o secretário de Planejamento, Aldemir Freire, ouvido para a elaboração do texto, o projeto, para reduzir apenas em até R$ 1,65 o preço da gasolina e em até R$ 0,76 o do diesel, terá como consequência a possibilidade de fechamento dos dois principais programas de alimentação popular do Estado: o Programa do Leite e o Restaurante Popular.

ZERADO
Isso porque a perda gigante na arrecadação do ICMS, como pede o PLP 18, deixará de garantir quase o valor total dos custos desses programas, que é de R$ 110 milhões. Segundo Aldemir, a aprovação do projeto do governo Bolsonaro retirará nada menos do que R$ 100 milhões da principal fonte de financiamento do Programa do Leite e do Restaurante Popular. “Serão atingidos de morte”, afirmou.

ELEITOREIRO
Na opinião do secretário de Planejamento, o PLP 18 “é um projeto equivocado e de natureza puramente eleitoreira”. Ele disse mais: a compensação que o governo federal está propondo para cobrir as perdas dos estados e municípios “é absolutamente insuficiente”, não ultrapassando 30% do que estará sendo deixado de receber.

CENÁRIO
A quatro meses das eleições, o Palácio do Planalto tem pressa em aprovar esse famigerado PLP 18, uma vez que as pesquisas mais recentes, de institutos diversos, apontam que a inflação corroendo o poder de compra do brasileiro é o fator que mais pressiona para baixo a intenção de votos em Bolsonaro neste momento. O presidente, aliás, é considerado o maior culpado pela alta dos valores e, nesse cenário, ele vem caindo nas sondagens, como mostraram nas últimas semanas resultados do Datafolha, Ipespe e Quaest.

Leia o artigo completo 👇

https://www.novonoticias.com.br/blogs/daniela-freire/artigo-o-plp-18-e-o-paciente-cuidando-do-medico/