Nesta segunda-feira, após a repercussão da aprovação pelo PT do nome de Carlos Eduardo para disputar o Senado como o candidato oficial da chapa encabeçada por Fátima Bezerra, o deputado federal e presidente do PSB no RN Rafael Motta garantiu ao Blog Daniela Freire que mesmo assim a sua pré-candidatura de senador continua. “Candidatura de pé”, afirmou.

A análise que se faz nos bastidores por políticos, inclusive do próprio PT, é de que Rafael não tem a menor intenção em dar uma ré na sua pretensão política, a não ser que esse pedido chegue de cima para baixo e que seja uma saída honrosa, com validação da cúpula nacional do PSB.

Ou seja, teria que haver um acordo nacional entre PSB, que indicou o vice de Lula, Geraldo Alckmin, e o PT.

A informação é de que o lançamento do nome de Rafael ao Senado no RN faz parte de uma articulação eleitoral nacional do partido para pressionar o PT em alguns estados. “Não é só Rafael. Em outros estados estão fazendo a mesma coisa com outros candidatos da legenda”, contou uma fonte.

Segundo apurou o Blog, há uma insatisfação dos socialistas, que alegam que o Partido dos Trabalhadores em nada tem contribuído para fortalecer o PSB nos estados para o pleito de 2022.