Em vídeo, Wendell Lagartixa contou que irmão foi preso por estar portando uma arma. Foto: Reprodução
Em vídeo, Wendell Lagartixa contou que irmão foi preso por estar portando uma arma. Foto: Reprodução

Enquanto viajava para o Rio Grande do Sul e cruzava a Bahia, o veículo em que estava o policial militar reformado Wendel Fagner, o Wendel Lagartixa, e o irmão foi parado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) por volta das 16h, no KM 830 da BR-116, em Vitória da Conquista. No veículos, os policiais encontraram uma arma de fogo de uso restrito com fraude processual. No momento da abordagem, o irmão teria assumido a responsabilidade pela arma, reconhecidamente ilegal, e sido preso, segundo informado pelo próprio Wendel em vídeo publicado em suas redes sociais.

De acordo com a Polícia Civil, em conversa preliminar com os policiais rodoviários federais, Lagartixa teria assumido que estava portando a arma de fogo e que ela estava com registro irregular. Segundo a Polícia Civil, ao receberem a informação de que a situação seria apresentada ao delegado plantonista, Wendel mudou a versão e alegou que a arma era do motorista, que é seu irmão.

Nos autos, o motorista assumiu ser o responsável pela arma, bem como os outros ocupantes buscaram confirmar esta versão. No entanto, a Polícia Civil informou que ao serem analisadas as declarações dos PRFs, que esclarecem a posição exata de cada envolvido dentro do veículo, associadas às contradições presentes nos depoimentos dos outros ocupantes e do interrogado, chegou-se a conclusão que o PM reformado Wendel Fagner estava portando a arma de fogo, mas convenceu seu irmão a assumir o crime, bem como os outros dois ocupantes para confirmarem a versão. Diante disso, Wendel foi detido e encaminhado para o Sistema Prisional da Bahia.

Durante a madrugada deste sábado (11), a filha de Wendel, Anne Lagartixa, divulgou um novo vídeo contanto outra versão. Nele, ela afirma que mesmo o tio tendo assumido a responsabilidade da arma, o preso acabou sendo Wendel. Ela diz ainda que o tio vinha sendo ameaçado e que ninguém sabia que ele tinha levado a arma. “Do nada, o delegado chegou, liberou meu tio e levou pai no lugar dele. A gente não sabe o motivo”, afirmou Anne, acrescentando que “o que está acontecendo é perseguição política”. 
Leia mais:

Na manhã deste sábado, Anne Lagartixa divulgou uma nota sobre o assunto. Confira:


Wendel Lagartixa, o irmão e mais duas pessoas estavam indo para o Rio Grande do Sul, segundo ele, para ajudar no salvamento de vítimas das enchentes.

______________________________________________________________________________________________

Quer receber notícias úteis, relevantes, informativas e divertidas?

➡️ Assine gratuitamente a Comunidade do NOVO no Whatsapp.
➡️ gratuitamente o Canal de Notícias no Telegram.
➡️ Siga o NOVO Notícias no Twitter.

______________________________________________________________________________________________