Vereador disse que colega podia “latir” que não tinha medo dela – Foto: Edilberto Barros/CMM

A sessão da Câmara de Vereadores de Mossoró, na região oeste do Rio Grande do Norte, ficou marcada por polêmicas, nesta quarta-feira (13). As discussões acaloradas envolveram os vereadores Raério Araújo (PSD), Marleide Cunha (PT), Zé Peixeiro (PP) e Omar Nogueira (Patriota) durante falas dos parlamentares na tribuna do plenário.

No fim de semana, a vereadora Marleide Cunha (PT) repudiou em suas redes sociais o prefeito Allyson Bezerra (SD), por ter gravado o anuncio do retorno das cirurgias ginecológicas durante um dos procedimentos. Com isso, o vereador Raério Araújo (PSD) ocupou a tribuna para defender o chefe do executivo e criticar a atitude da colega.

“Eu também não tenho medo de ninguém, principalmente da senhora… pode gritar, pode latir”, disparou Raério.

Em resposta, a vereadora petista disse que não era animal para latir e que usava argumentos. “Quando eu falo nesta casa eu não lato porque sou gente. Gente que pensa, gente que discorda, gente que concorda e sou gente que tem a liberdade de dizer o que penso”, respondeu Marleide.

Confira o vídeo com a discussão entre os vereadores:

Ainda durante a sessão, os vereadores Zé Peixeiro (PP) e Omar Nogueira (Patriota) trocaram farpas. Adversários na mesma faixa político-eleitoral (bairro Santo Antônio e adjacências), os dois trocaram provocações e até mesmo se desafiaram para confronto pessoal em qualquer lugar, quando discutiam sobre a gestão municipal atual.

“Eu não tenho medo de você, não. Você lá na campanha tentou me intimidar, certo?!. Mas, você não vai não”, disse Omar Nogueira, que está em sua primeira legislatura.

Zé Peixeiro, que já possui três mandatos na casa, e até bem pouco tempo era da base governista, como Omar, não titubeou ao responder o colega.

“Onde o senhor escolher, pode escolher. Não tenho medo de nenhum. Escolha onde você quiser”, rebateu Zé.

Diante das trocas de ameaças, o presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Lawrence Amorim (Solidariedade), interviu na situação, pedindo “calma”; além de contestar “as animosidades e gritarias”. Lawrence ainda interpelou afirmando que a Casa Legislativa não era um “ringue”.

Manifestações 

Após a sessão, diversos políticos e figuras públicas do estado saíram em defesa da vereadora Marleide Cunha. A deputada federal, Natalia Bonavides disse que “É inaceitável que mulheres continuem sofrendo ataques machistas. Repudiamos o discurso de ódio do vereador e nos colocamos na luta ao lado da companheira”. O deputado estadual, Francisco do PT ressaltou que “a professora Marleide Cunha sempre falou com firmeza ao defender as pessoas injustiçadas. Os seus algozes reagem com discursos de desrespeito e discriminação como aconteceu hoje por parte de um parlamentar de Mossoró. Ele já devia saber q Marleide é uma persona de coragem”. 

Vereadores de diversos municípios e até o Secretário de Gestão de Projetos e Metas do RN, Fernando Mineiro, se posicionaram sobre o caso.

Minha absoluta e irrestrita solidariedade a @marleidecunhapt, vereadora do PT em Mossoró, diante das agressões machistas e sexistas que ela sofreu por parte do vereador Raerio Cabeção. #tmj, Companheira.

— MineiroLula (@mineiroptrn) October 13, 2021