COLUNA TOQUE DE LETRA POR DIEGO BRENO

O medo de jogar
Olá, pessoal! Pergunto aos abecedistas: se você fosse o treinador do alvinegro e encarasse o líder do campeonato, fora de casa, você iria usar a retranca ou simplesmente contra-atacaria? O que vimos do time sob a chancela de Roberto Fonseca à frente do alvinegro, sem sombra de dúvidas, foi uma equipe que abdicou da segunda opção. O medo de jogar falou mais alto e as chances que o ABC teve no jogo surgiram de forma esporádica. Você conta nos dedos de uma mão as que realmente ofereceram perigo.

O medo de jogar (2)
O Roberto Fonseca até poderia – em sua mente – ter tido um plano de jogo quando tivesse a posse de bola, ou controlar a partida quando a pelota não estivesse em seus pés (famosos “jogar sem a bola”). Mas o que se viu foi um time que apenas esperou o tempo passar. Era nítido que os jogadores já estavam sentindo o desgaste. Simplesmente defender era o verbo mais usado pelo alvinegro. Só que nos acréscimos acabaram sofrendo o gol. Mérito total de quem buscou o jogo, de quem criou oportunidades, de quem ousou em não ser o ABC.

De boas
Que o Atlético-CE não iria oferecer perigos reais ao América, disso sabíamos. O alvirrubro teve a partida no controle. Porém, cá entre nós, o placar poderia ter sido bem mais elástico se não tivesse perdido tantos gols. Ao meu ver, esse foi o ponto que deixou a desejar no time: a tal da efetividade. Todavia o mais importante foi vencer em casa e conquistar os três pontos que o colocam na vice-liderança do grupo atrás do Treze-PB. Aliás, a liderança será em questão de tempo.

Poxa, Potiguar!
Por ter vencido a primeira fora de casa, convenhamos, criou-se certa expectativa com o Potiguar de Mossoró que, jogando em Assu, recebeu o Maracanã-CE. O alvirrubro mossoroense até que começou bem e o gol de Portel colocava a equipe na liderança do grupo. Mas em erros do Time Macho, o Maracanã acabou virando – com um jogador a menos – e impôs à primeira derrota do Potiguar nesta Serie D. Que o técnico Robson Melo abra o olho, pois perder pontos em casa da forma como foi é inadmissível.

E o Santinha?
Dois jogos e duas derrotas. Esse é o começo do vice-campeão potiguar na Série D. Quem acharia – como eu acharia – que o Santa Cruz poderia ir bem na competição, começa a enxergar de uma outra maneira. É bem verdade que ainda tem muitos jogos a serem disputados e podem acontecer reviravoltas. No entanto, começar um campeonato da forma como o Santa começou é para já ligar o sinal de alerta. Até porque o próximo jogo será nada mais nada menos do que contra o América.

O primeiro duelo
Amanhã, às 15h lá em João Pessoa, as meninas do União farão o primeiro jogo dessa segunda fase – ou Oitavas de Final – do Brasileirão A3 contra o Botafogo-PB. As representantes potiguares precisam tomar certo cuidado com as Belas do Belo. Por mais que no campeonato paraibano elas tenham chegado nas semifinais, foi o Botafogo que eliminou as atuais campeãs do Estado neste Brasileiro. Um time que conta com jogadoras experientes como Jane Santos mesclado de jovens jogadoras como algumas meninas que vieram da base – sim, o Botafogo tem base feminina. Lembrando que o jogo da volta vai acontecer domingo, dia 12 às 15:00, no Frasqueirão.

Solidariedade ao Rio Grande
Para encerrar a Coluna desta segunda-feira, fica aqui minha solidariedade ao povo gaúcho e principalmente aos que estão na corrente do bem para ajudar. Vários atletas, colegas de imprensa, é importante demais ajudarmos de alguma maneira. Caso queira, procure os meios oficiais e de confiança para as doações. Façamos a nossa parte! Uma ótima semana a todos.

______________________________________________________________________________________________

Quer receber notícias úteis, relevantes, informativas e divertidas?

➡️ Assine gratuitamente a Comunidade do NOVO no Whatsapp.
➡️ gratuitamente o Canal de Notícias no Telegram.
➡️ Siga o NOVO Notícias no Twitter.

______________________________________________________________________________________________