Tiago Medeiros
Tiago Medeiros, consultor financeiro especialista em investimentos da Quant Capital – Foto: Divulgação

Se você se enquadra no grupo de pessoas que trabalha dia e noite para fazer seu negócio acontecer, seja como autônomo, freelancer, MEI ou PJ ou se preocupa simplesmente com as incertezas que pairam sobre a situação da Previdência Social no Brasil por conta da Reforma da Previdência, certamente você já ouviu falar em Previdência Privada, fundos oferecidos por instituições financeiras, nos quais o contribuinte escolhe um valor e prazo para fazer contribuições mensais e ao final do ciclo, pode receber o dinheiro investido de forma integral, mensal temporário ou vitalício.

Essa modalidade de investimento, embora seja famosa por complementar a aposentadoria, também pode ajudar em outras conquistas. Porém, é preciso planejamento antes de começar, pois existem diversas características para considerar, como perfil de risco, prazo, valores e tributação, afinal a realidade de cada pessoa é única e cada especificidade precisa ser levada em consideração na hora de planejar a aposentadoria.

A jornalista, Ariadne Monteiro, resolveu investir nessa modalidade ainda em 2008 e com o passar dos anos foi reajustando o valor de acordo com a sua renda. “Como se trata de um investimento que carrega o nome de um grande banco, confiei cegamente e nunca parei para analisar com exatidão meus extratos. Até que esse mês resolvi dar uma olhada e me deparei com um débito de mais de 2 mil reais. Quando checou o extrato do mês anterior, outro débito de valor semelhante, o que me deixou assustada”, disse Ariadne.

A justificativa do banco foi que aplicava o valor em ações de risco moderado e que naquele momento havia tido essa perda, uma surpresa para a jornalista que não tinha se atentado para esse detalhe antes de fechar o contrato. Outra informação, é que não havia sido debitado nenhum valor, apenas ocorrido uma correção no seu fundo de investimento.

De acordo com o Tiago Medeiros, consultor financeiro especialista em investimentos da Quant Capital, se engana quem acredita que a alternativa mais segura é se aposentar pelo INSS. “Após uma reforma que aconteceu recentemente, em breve serão necessários novos ajustes para acomodar o crescimento da quantidade da população idosa e manter um certo equilíbrio das contas públicas. Nossa população idosa e aposentada está crescendo e a metodologia da previdência oficial utilizada não é sustentável”, alerta.

A Previdência Privada surge como alternativa recheada de vantagens, como o benefício tributário, que permite, em alguns casos, pagar menos IR; pelo fato de não entrar no inventário é parte do planejamento sucessório; e a possibilidade de obter ganhos mais relevantes que no longo prazo fazem muita diferença.

Para Tiago Medeiros, os fundos de previdência possuem um gestor de carteiras que escolherá em quais ativos investir e quando irá comprar e vender. “Os resultados dessas operações é que renderão os ganhos ou perdas para o investidor – exatamente como em um fundo de investimentos comum. Por este motivo, contar com orientação adequada irá fazer toda a diferença para obtenção de mais benefícios”, explica.

Dados

O brasileiro tem optado ano após ano nesta modalidade, que cresceu 11,2% em 2021 em comparação com 2020, segundo a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FENAPREVI). Porém, segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA), apenas 3% dos aposentados brasileiros contam com essa renda complementar.

Em um país em que apenas cerca de 1% dos aposentados conseguem arcar com seus próprios custos, segundo o IBGE em uma pesquisa divulgada em 2010, e que na visão de Tiago Medeiros, o dado não apresentou mudança substancial nos últimos anos, pensar alguns anos à frente e se preparar para aproveitar a aposentadoria é essencial e contar com uma ajuda profissional para evitar cair em armadilhas do mercado optando por produtos ruins pode ser a diferença entre a realização ou a frustração dos planos de vida.