O PSOL nacional anunciou que apresentou notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por ter tirado a máscara de um menino durante sua passagem pelo RN. “Bolsonaro violou normas sanitárias e atentou contra o Estatuto da Criança e do Adolescente”, argumenta o partido.

Em publicação nas redes sociais, a legenda afirmou que o presidente “é uma ameaça sanitária” que “agora também atenta contra crianças no seu criminosos plano negacionista”.

A atitude de Bolsonaro, ocorrida em Jucurutu, acabou virando a grande repercussão de sua vinda ao Estado, encobrindo o propósito da agenda, que era anunciar recursos para finalizar a obra na Barragem de Oiticica.

Além de abaixar a máscara de um menino, que estava em seu colo para uma fotografia, Bolsonaro também fez gestos pedidindo para uma poetisa mirim, que foi lhe homenagear, retirar a proteção – com a desculpa de que era para ela recitar melhor o cordel.

Videos dessas duas ações do presidente repercutiram fortemente na grande imprensa e foram compartilhadas aos milhares nas redes sociais de todo o Brasil.