Time de Renatinho Potiguar não foi eficiente no ataque neste sábado (09/10). Foto: Gabriel Leite/UDE

Como tem sido no América, foi mais uma semana onde as lesões atrapalharam a escalação do time principal. O técnico Renatinho Potiguar continuou sem Elvinho e perdeu o lateral esquerdo Leozinho. Sem falar que Felipe Guedes e Alvinho começaram no banco de reservas. Na escalação, a surpresa foi o retorno de Max como titular. O atacante não jogava desde julho e de lá para cá vinha só tratando o joelho.

Foi um primeiro tempo onde o América teve mais a bola, trocou passes (principalmente nos 10 minutos iniciais), mas finalizou pouco e ruim. Foi muita bola longa e inversão de jogo que não deu em nada.

Campinense fez o dele. Bem armado do meio para trás e só esperando o contra-ataque.

Já na segunda etapa o América veio com um time diferente. Max e Felipinho ficaram no vestiário. Entraram Alvinho e Felipe Cruz. Mas a falta de capricho do meio para frente continuou. Parecia um time com meio de campo amarrado, onde não havia espaço para evoluir.

Com o empate deste sábado, está tudo indefinido para o jogo da volta, em Campina Grande. Quem vencer sobe para a “C”. Empate dá pênaltis. Segura o coração.

PULA PULA NA ARENA DAS DUNAS


Segurança da Arena das Dunas nada fez contra os “fujões” que mudavam de setor. Foto: Gabriel Leite/UDE

Chamou a atenção a grande quantidade de torcedores do América que simplesmente pularam as divisórias que separam os setores da Arena das Dunas. E com a total omissão da equipe de segurança/orientadores. O setor Norte ficou esvaziado enquanto o Leste e Sul, inchados.

Protocolo que funcionou tão bem no jogo anterior com público, foi para o lixo. Ninguém fez nada e isso é injusto com quem pagou mais caro e respeitou as limitações.