DOM MOACIR tem moral com o presidente Bira Marques quando o assunto é elenco: Foto: Rennê Carvalho

O que se comentava nos bastidores foi escancarado por causa da vinda do zagueiro Suéliton. Não pelo atleta que chega, longe disso (correto e baita profissional), mas por toda situação que foi criada. Com mais um jogador para a defesa, o clube terá que dispensar um dos zagueiros do atual elenco por causa dos custos. E quem foi comunicado que sairia foi Vinícius Leandro.

Até aí tudo bem. Vinícius Leandro de 2021 é de longe aquele do ano passado. Realmente estaria numa lista de dispensa em qualquer outro time se for pesar só o rendimento. Esse é um ponto. Questão é que quando se avalia uma saída de alguém da defesa, olhando as atuações de outros zagueiros, aí é que a coisa muda de figura.

Mas é inegável mencionar outro ponto: a liderança que VL exerce fora e dentro de campo (desde Diá, ele orienta mais do banco do que quem devia fazê-lo). O zagueiro de 31 anos conseguiu o respeito e admiração de todos do time. De Wallyson a Vinícius Paulista, de Netinho a Valderrama. Mas esse reconhecimento parou no técnico Moacir Jr.

Atualmente o ABC conta com cinco zagueiros: Alisson Cassiano, Ramon (ainda em transição), Donato, Vinicius Leandro, Alexandre e Suéliton. A escolha individual de Moacir Jr. é que Vinícius Leandro deixe o clube. Treinador bateu o pé e já passou sua decisão para a diretoria, presidência e VP de futebol. Presidente Bira Marques deu carta branca para isso. Dom Moacir tem força com o presida e o que fala sobre time, Bira atende. Internamente, (repito, não pela bola, mas pelo contexto geral) o receio é de que a saída de VL atrapalhe o ambiente interno.

Alguns jogadores chegaram até pedir que essa decisão seja revista, pela saúde e relação do elenco, mas parece que a coisa está definida. Será?

Talvez, pela repercussão e grita geral (seja do elenco ou público externo), a coisa mude. Ou ainda tudo isso seja negado, chamado de boato e tudo mais para se colocar panos quentes. Quem é de dentro sabe que esse caso é verdadeiro.

E que fique o registro: o fato serviu para deixar bem claro que a relação entre elenco alvinegro e Moacir Jr. (a quem respeito e não tenho nada contra) é meramente profissional. Sem intimidade, admiração ou até aquela relação “paizão” dele com os atletas. E isso é péssimo vir à tona próximo do 1ª mata-mata da Série “D”. Tomara que não vire uma bola de neve.

Veremos o desenrolar dos fatos.