Quem também comentou a reportagem/denúncia da Folha de S.Paulo foi a deputada federal Natália Bonavides, que já apelidou o esquema de propina na compra de vacinas da Covaxin pelo governo Bolsonaro de “Rachadinha das Vacinas”, numa referência às acusações de que a família Bolsonaro roubava no Legislativo do RJ através de salários de servidores de seus gabinetes.

Segundo a parlamentar, as denúncias da Folha explicam a demora do Governo Federal em comprar imunizantes para os brasileiros. “Era para decidir qual empresa pagaria mais a Bolsonaro!”, afirmou Natália. “Ladrões de vacina!” , escreveu a deputada nas suas redes sociais.

Assim como o colega Rafael Motta, Bonavides questionou “quanto vale a vida” de um cidadão para Bolsonaro. “Um dólar em propina!”, ela mesma respondeu. Na opinião da deputada, não se pode dizer que a gestão Bolsonaro é um “desgoverno”, pois é, na verdade, um “projeto de morte muito bem remunerado”.