Com o “total empenho” do PSB nacional, a pré-candidatura de Rafael Motta ao Senado é “irreversível”, segundo declarou o próprio deputado e presidente do PSB no RN, durante entrevista ao Repórter98, na 98FM, na última sexta-feira.

“Minha candidatura é irreversível. Eu não sou de aventuras”, afirmou Motta.

De tão firme que está no projeto, Rafael garantiu que não há a mínima possibilidade de voltar atrás. Inclusive, questionado por esta editora, que participou da entrevista, sobre a possibilidade de a governadora Fátima Bezerra procurá-lo para tentar demovê-lo da ideia de sair candidato a senador, como chegou a admitir que poderia acontecer o deputado e líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Francisco, o parlamentar foi taxativo: “Eu duvido que a governadora me peça isso, até porque, infelizmente, ela vai levar um ‘não'”.

Ao Repórter98, o presidente do PSB ainda ressaltou que conta com o apoio de pelo menos 25 prefeitos do RN à sua candidatura ao Senado. Ele disse confiar que, mesmo com as investidas de ‘concorrentes’ às suas bases, elas continuarão ao seu lado na campanha.

Outro ponto a se destacar sobre a fala firme de Rafael Motta confirmando a pré-candidatura à 98FM é o de que o parlamentar está convicto de que terá o presidenciável Lula pedindo voto para ele e não para Carlos Eduardo durante a campanha eleitoral. “Lógico (que Lula pedirá voto para ele). O PSB é o vice na chapa”, afirmou. E ressaltou que se a sua candidatura é “irreversível” o seu voto em Fátima Bezerra e em Lula é da mesma forma “irrevogável”.